Pesquisar este blog

Carregando...

domingo, 14 de julho de 2013

Dinâmica em Grupo


Dinâmica em Grupo
Para se dar bem na dinâmica de grupo, a dica mais importante é: mantenha a calma. Ficar nervoso durante o processo não vai adiantar nada e só vai prejudicar a sua performance no jogo. Para alcançar seus objetivos e conseguir a vaga, você provavelmente terá que passar por uma situação simulada, seja ela um jogo ou uma dramatização. Por isso você deve apresentar jogo de cintura para lidar com imprevistos e saber improvisar, saber ouvir e principalmente saber se colocar, expor e defender suas idéias. Na dinâmica de grupo, normalmente os candidatos enfrentam situações desafiadoras e precisam representá-las de diversas formas, como: fazer propagandas, dramatizações e se colocar publicamente.
É preciso analisar a vaga pretendida, o tipo de empresa e nunca, jamais, fingir ser o que você não é. Mais cedo ou mais tarde, a máscara cai, o selecionador percebe que foi enganado e você pode perder a vaga. Nem sempre você precisa ser o primeiro da turma. Se você concorre a uma vaga que vai se reportar a uma ou mais pessoas, e demonstra muito espírito de liderança, pode se prejudicar. O selecionador pode entender que você será um profissional que vai estar em eterno conflito com a chefia.
As dinâmicas permitem, a cada grupo aplicados, vários momentos agradáveis e diferentes, os quais proporcionam resultados positivos, no que diz respeito à integração, aprendizagem, motivação, interesse, reflexão e conscientização. Ao longo da prática de dinâmicas, observa-se mudança de comportamento dos participantes, novo posicionamento às diversas questões apresentadas, eliminação de barreiras interpessoais de comunicação e desenvolvimento de equipes.
O mercado de trabalho está sendo cada vez mais conquistado pela modernidade e as formas de seleção, se adaptando rapidamente a essa nova realidade. Por isso é bom ficar sempre de olho nas novidades que a UNINVEST traz para você!
Leia também as outras Apostilas:
·        Como Busca Trabalho
·        Como Preparar um Currículo Eficiente;
·        Como se Sair Bem em Entrevista de Seleção;
·        Como Ter um Perfil Profissional Adequado.
Boa Sorte e Muito Suce$$o!

domingo, 7 de julho de 2013

Check-list da Dinâmica de Grupo





Agora que você já conheceu todas as etapas da dinâmica de grupo, que tal saber como foi seu desempenho? Apesar de não haver um padrão e não ser possível conhecer todos os critérios dos selecionadores, você pode refletir sobre seu comportamento para se aprimorar cada vez mais. Preencha o check list abaixo escolhendo SIM ou NÃO para cada questão. Seja sincero!

QUESTÕES
SIM
NÃO
1. Procurei conhecer um pouco sobre a empresa, antes de participar do processo seletivo?
2. Preparei-me adequadamente?
3. Vesti-me adequadamente?
4. Fiz um contato satisfatório com o selecionador?
5. Facilitei minha própria descontração?
6. Causei uma boa impressão?
7. Soube ouvir?
8. Tive flexibilidade?
9. Consegui me comunicar?
10. Fiz perguntas adequadas?
11. Fiz as investigações necessárias?
12. Respondi adequadamente ao que me foi perguntado?
13. Observei minha comunicação não verbal?
14. Minha postura física estava satisfatória?
15. Controlei adequadamente o uso do tempo durante a dinâmica?
16. Mantive o equilíbrio emocional?
17. Demonstrei atenção e interesse?
18. Permiti que outros participantes também se expressassem?
19. Elucidei minhas dúvidas?
20. Despedi-me de todos adequadamente?
21. Fiz as anotações necessárias?
22. Tratei as informações recebidas com ética?
23. Alcancei os objetivos da dinâmica?
24. Fiquei feliz com meu desempenho?
25. Creio que ainda posso melhorar nas seguintes características e/ou comportamentos:  

TOTAL
AVALIAÇÃO GERAL:
A soma de pontos das colunas SIM e NÃO servem como referência para você saber em quantas situações da dinâmica agiu corretamente ou de maneira errada. Cada resposta SIM significa que você agiu de maneira positiva. As respostas NÃO indicam atitude desfavorável. Veja:
Para as respostas SIM: Parabéns!!! Mantenha, desenvolva e aprimore cada vez seu desempenho, não só nas dinâmicas de grupo como em todo o processo seletivo. Sucesso!
Para as respostas NÃO: Você precisa se esforçar mais. A dica principal é: conheça mais sobre você mesmo. Saber se posicionar, falar e ficar quieto nas horas certas, vestir-se com roupas adequadas e manter-se atualizado são apenas alguns exemplos de atitudes que podem garantir a sua vaga. Você certamente tem condições de aprimorar estes aspectos, mas para isso é fundamental não desanimar e acreditar no seu potencial.
Boa sorte!


domingo, 30 de junho de 2013

Como saber se fui bem no processo?



Acabada a dinâmica, todos se despedem e a primeira coisa que ronda os seus pensamentos é: será que fui bem? como saber se passei para a próxima fase? Esta é a grande dúvida dos candidatos que participam de dinâmicas e a dificuldade de resposta reside no fato de que é muito difícil saber se o selecionador entendeu tudo o que você queria passar, justamente porque estamos falando de comportamento, que por si só é muito subjetivo.
O melhor é fazer uma autoavaliação de como foi o processo, tentando ser o mais imparcial possível. Você pode começar analisando pelo grau de dificuldade da tarefa. Se você achou a tarefa fácil e conseguiu colocar suas opiniões com desenvoltura, já é um primeiro passo. Relembre também como foi a reação dos outros participantes às suas colocações. Às vezes um sorriso do selecionador, a atenção com que as outras pessoas escutaram você, tudo isso pode ser um indicativo de que você foi bem aceito pelo grupo e vai continuar no processo.
Além disso, você pode aguardar um feedback da empresa, informando o resultado do processo. Mas infelizmente esta é uma prática que nem todas empresas fazem. Muitas dão andamento na seleção e simplesmente ignoram os candidatos que não foram selecionados.
Analisar o seu temperamento também é importante. Você estava alegre, sorridente, de bem com a vida? Claro que é preciso agir com naturalidade, mas já chegar irritado e falando mal da empresa anterior não conta pontos, pelo contrário. Tenha em mente que seu comportamento neste momento pode decidir a sua continuação - ou não - no processo seletivo.
Muitas vezes a culpa não é da empresa contratante, mas da empresa contratada apenas para realizar a dinâmica. O problema pode estar, também, na grande quantidade de pessoas selecionadas. Por exemplo, uma seleção de trainees para o Banco, apenas 40 vagas, mas a instituição recebe torno de 25 mil currículos de profissionais interessados. Com uma gama tão grande de inscritos fica difícil esperar um feedback. Nestes casos, a estratégia é fazer o melhor currículo do mundo e torcer para ser chamado.
Todos estes aspectos, juntamente com o seu currículo e um pouquinho de sorte, podem garantir o seu passaporte para a próxima fase, que geralmente é composta de entrevistas pessoais com o responsável pela vaga e o gerente da área. Dependendo da vaga e da empresa, o processo pode incluir ainda uma entrevista coletiva - feita em grupos de pessoas, funciona como uma espécie de apresentação pessoal de cada candidato. 

domingo, 23 de junho de 2013

Uma atitude pode decidir uma dinâmica de grupo?





Você já teve dúvidas sobre os motivos pelos quais foi excluído de um processo seletivo? A mídia, principalmente impressa, freqüentemente publica dicas sobre como se comportar em processos seletivos, seja durante a entrevista, a dinâmica de grupo ou dizendo o que desenhar em determinado teste psicológico. E por que será que as empresas estão utilizando mais e mais instrumentos durante a Seleção? Será que é para ver a resistência do candidato ou há outro motivo? Qualquer contratação traz enorme investimento para as empresas. Se o profissional deixar a organização pouco tempo depois de contratado, certamente o investimento passa a ser custo.

·         "Durante uma dinâmica de grupo, perguntei sobre o salário do cargo, que não estava claro para mim. Fui preterido no processo. Será que foi pela minha pergunta?"
·         "Cheguei atrasado pois me perdi no trajeto até a empresa que havia me chamado para uma entrevista. Fui rejeitado. É possível que um atraso involuntário possa ter me retirado da seleção?"
·         "Discuti fortemente com outro candidato que participava comigo de uma dinâmica de grupo. Percebi, na hora, que estava fora."
O ser humano é extremamente complexo. Dê uma olhadinha para dentro de você e verá o que quero dizer... O uso de diferentes instrumentos nos processos seletivos traz maior segurança às empresas quando precisam contratar profissionais. Devido à complexidade já citada do ser humano, quanto melhor observado for o candidato, maior segurança na seleção a empresa terá e conseqüente certeza do seu investimento ao contratá-lo. Os candidatos também deveriam aproveitar este tempo para avaliar se aquela empresa merece seu trabalho.
Um processo seletivo é composto por diversos instrumentos: entrevistas, dinâmicas de grupo, testes psicológicos, testes práticos. As informações colhidas são complementares, ou seja, cada atividade revela um tipo de característica.
Por exemplo: a entrevista individual permite que o candidato detalhe projetos, conquistas, interesses pessoais e profissionais. Isto não ocorre em uma dinâmica de grupo. Nesta, os itens "relacionamento interpessoal", "liderança", "cooperação x competição" são melhor observados.
Os testes de personalidade, por sua vez, mostram traços como ambição, energia, equilíbrio emocional, nem sempre observados na entrevista ou nas dinâmicas de grupo. Por último o teste prático, que verifica se o profissional reúne as competências e conhecimentos técnicos necessários para o desempenho da função em questão, itens que os outros instrumentos podem demonstrar parcialmente.
Os resultados de um processo seletivo, portanto, são decorrentes de um conjunto de informações e observações e não apenas de uma ou outra característica. Para melhor entendimento didático, podemos resumir o processo seletivo na "equação": candidato certo + cargo certo + chefia certa + empresa certa. Se apenas uma destas partes não existir, toda seleção está comprometida.
Mesmo assim, é possível que apenas um comportamento do candidato possa excluí-lo do processo? A resposta é SIM, é possível. Você contrataria para sua empresa:
  • Profissionais que se atacassem pessoalmente durante uma dinâmica de grupo, desrespeitando-se mutuamente?
  • Uma candidata que seduzisse claramente o entrevistador?
  • Um candidato que "colasse" na aplicação coletiva de um testes de personalidade?
Tenha em mente que o melhor que você tem a mostrar é VOCÊ MESMO. Busque o autoconhecimento e o autodesenvolvimento. A segurança e a assertividade virão e tudo ficará mais fácil.
Agora, se você comprou na banca de jornais aquele "livrinho" ensinando as respostas dos testes de personalidade, esqueça: é uma furada!!!

domingo, 16 de junho de 2013

Os 10 mandamentos da dinâmica de grupo



Abaixo você encontra dez dicas preciosas, elaboradas para que sua atuação em dinâmicas de grupo seja bem lembrada pelos recrutadores.
Prepare-se muito bem: Antes do momento da dinâmica, lembre-se de checar alguns pontos, como:
  • Na noite anterior, antes de dormir, repasse seu currículo e a forma como você irá se apresentar.
  • Esteja muito bem informado sobre a empresa. ‘Fuce’ o site, descubra quem são os concorrentes, em que posição está no mercado.
  • Chegue um pouco antes ao local para evitar aumentar sua ansiedade.
Cuide da sua imagem: Uma boa apresentação começa no vestuário. Siga as dicas:
  • Roupa e imagem têm de transmitir credibilidade. Uma boa dica é basear-se no vestuário de apresentadores de telejornal, como da Globo ou GloboNews. Eles possuem um departamento específico que estuda a melhor maneira de se vestir no ambiente de trabalho;
  • As mulheres devem tomar um certo cuidado, pois devem transmitir credibilidade e não sensualidade;
  • É fato que o sapato revela muito sobre a aparência da pessoa, e os recrutadores reparam nisso. Portanto, o calçado deve estar sempre impecável, parecendo novo.
Seja honesto e protagonista: Ser você mesmo é o principal conselho.
  • O mais importante é sempre falar a verdade, fruto da sua própria experiência. Você deve ser responsável por tudo o que acontecer, usar de protagonismo. Se algo não der certo, não se faça de vítima e assuma suas atitudes. Uma frase de que gosto muito: ‘Seja quem você é e jamais lamente não ser quem você não é’;
  • Seja você mesmo, pois os profissionais que estão recrutando têm um perfil que você não conhece. Se você tentar ser o que não é, terá dois problemas: poderá ser selecionado e cobrado pelo que demonstrou na dinâmica ou poderá perder a posição por não ter o perfil que eles estavam selecionando.
Seja líder, não ditador: Espírito de liderança é algo que todos os recrutadores procuram nos candidatos. Deve-se tomar cuidado, no entanto, para não confundir liderança com autoritarismo.
  • Na medida do possível, tente liderar a dinâmica, mostrar-se pró-ativo. Porém, se você e outra pessoa entrarem em alguma disputa pela posição de líder, deixe-a com o cargo. Isso mostra que você deseja que a atividade ande para frente e, ao mesmo tempo, o torna o próprio líder, pois é como se você tivesse delegado a tarefa ao outro”.
Aja de acordo com o perfil da dinâmica: Cada vaga e empresa têm características distintas – você deve estar atento para agir, na dinâmica, de acordo com o cargo almejado.
  • Lembre-se de que cada dinâmica tem um perfil diferente. Mesmo que a forma de apresentação seja similar à de outra empresa, o perfil a ser selecionado é diferente;
  • Esteja voltado para o propósito da dinâmica, assuma o personagem que o processo pede. É preciso estar bastante concentrado, saiba ouvir e falar na hora certa.
Bom humor é fundamental: Medo e insegurança podem muitas vezes acompanhar o candidato durante o processo. Driblar esses obstáculos com humor pode fazer a diferença nos resultados.
  • O bom humor deve estar sempre presente na dinâmica de grupo, até para ajudar a evitar ou minimizar a natural tensão, comum a toda situação competitiva. No entanto, se por um lado a dinâmica deve manter um clima e um contexto necessariamente lúdico, por outro não deve jamais ser conduzida como brincadeira inconseqüente ou como diversão dos facilitadores.
Tenha clareza ao falar: Saber expressar-se é fundamental para ser bem compreendido e bem visto pelos recrutadores.
  • O candidato precisa ter desenvoltura, clareza e boa comunicação, sem ser prolixo. Explanar direito suas idéias não é falar difícil, e sim ter clareza e dicção. O uso de gírias não é nada adequado, claro
Não exagere na auto-promoção: Exibicionismos não são nada bem-vindos durante o processo.
  • Ao falar de si, você deve discorrer sobre suas competências técnicas, somente. As habilidades comportamentais já estão sendo observadas de acordo com suas atitudes.
Cuidado com a sedução: “Jeitinho brasileiro” e manipulação só contam pontos negativos.
  • Ser pró-ativo não significa ser falante e usar de sedução. O recrutador tem capacidade para ler os sinais que a pessoa envia. Você deve ser agradável, mas não político, usando de manipulação para convencer os outros.
Mantenha a auto-estima intacta ao término do processo: Independentemente do resultado, esteja certo de que a experiência foi positiva para você.
  • Após uma dinâmica – e, de resto, após qualquer processo seletivo – não há vencidos e vencedores, ganhadores e perdedores, melhores nem piores. O que todo processo seletivo visa é identificar o candidato que possua um perfil pessoal e profissional mais próximo e adequado ao perfil da vaga que se busca preencher. Um candidato que não ganhe a vaga pode ter o perfil ideal para outra, na mesma ou em outra empresa. Isso deve ficar muito claro para que nenhum candidato saia do processo com sua auto-estima abalada.

domingo, 9 de junho de 2013

A roupa ideal para encarar a dinâmica de grupo



Se você tem uma dinâmica de grupo agendada e planeja se destacar dos demais participantes com uma roupa mais chamativa, com cores vivas e acessórios proeminentes, pare e volte ao guarda-roupa. Conforto e discrição são as palavras-chave para se dar bem. Quanto mais discreto e confortável for seu traje, melhor. Você deve chamar a atenção do selecionador pelo conteúdo, e não pela aparência. Lembre-se também de que muitas dinâmicas exigem movimentação do corpo, por isso, não deixe que um calçado desconfortável, por exemplo, estrague seu desempenho. A roupa deve estar confortável física e mentalmente, ou seja, você tem que estar com os movimentos livres e sentir-se seguro e tranqüilo. Você deve possuir uma elegância transparente. Aja como um juiz de futebol, que é melhor quando não aparece demais.
Algumas dicas para não errar :
Camisas: Como nesse tipo de processo é comum movimentar-se, muito cuidado com a transpiração e possíveis manchas de suor embaixo das axilas. Para evitar essa deselegância, procure sempre usar camisas de tecidos leves e absorventes (especialmente para os homens, que costumam suar mais).
Sapatos: Aposte no conforto e fuja de saltos finos e muito altos, no caso das mulheres. De nada adiantará um fabuloso salto-agulha se seus pés estiverem doloridos e interferirem na sua performance.
Saias e decotes: Além de desnecessários e algumas vezes vulgares, saias muito curtas e decotes profundos podem ser extremamente incômodos – para você e para outras pessoas. Lembre-se de que chamar a atenção para esses detalhes irá tirar o foco do processo.
Perfume: Nada mais desagradável e deselegante do que contaminar o olfato alheio com um perfume muito forte. Mais uma vez, quanto mais discreto, melhor.
Marca pessoal: Tatuagens e piercings já são velhos conhecidos como vilões dos guias de etiqueta corporativa. Uma aparência mais excêntrica em um local conservador pode disparar o preconceito do outro, o que pode minar suas chances de transmitir credibilidade.
Cores: Tons clássicos ainda são a melhor pedida para quem não quer escorregar na elegância. Aposte, por exemplo, no azul marinho, que é impessoal e não desperta atenção indesejada. Fuja de cores como o vermelho, que é chamativo e não imprime confiabilidade.
Minha roupa está Ok. E agora? Se já passou no teste do provador, é hora de mostrar todo o seu potencial ao selecionador. Como já dito anteriormente, o que vale na dinâmica de grupo é destacar-se pelo seu conteúdo. A primeira avaliação é feita no primeiro minuto. Um simples bom dia pode revelar sua personalidade e disposição para o processo aos outros participantes e entrevistadores. A maior dica, é usar a inteligência a seu favor para agir de acordo com o que esperam de você.
Confira mais dicas para ter sucesso durante a dinâmica :
  • Tenha perspicácia e empatia;
  • Faça apenas comentários pertinentes;
  • Não force a barra para ser o centro das atenções;
  • Saiba ler o que o outro quer;
  • Cuidado para não parecer demasiadamente seguro de si e passar por pretensioso. 

domingo, 2 de junho de 2013

Supere a timidez durante a Dinâmica




Aprenda como se sair bem em momentos fundamentais durante o processo.A dinâmica de grupo é uma das fases do processo seletivo que mais deixa os candidatos inseguros. Se ao estar nessa situação o nervosismo e a preocupação começam a dominar excessivamente seus pensamentos, respire fundo e tente driblar esses sentimentos, para que eles não atrapalhem o seu desempenho. E uma das dúvidas mais recorrentes entre nossos cadastrados, e que rendem inúmeros e-mails para o escritório, é justamente como driblar a timidez durante a dinâmica. Vencer o monstro da timidez e passar por essa importante etapa da seleção pode parecer muito difícil no começo, mas o autocontrole é um exercício diário que gera resultados. Veja como superar essa barreira com as dicas abaixo:

1. Adapte-se ao ambiente
·         Participe , permita-se ser desafiado;
·         Responda com naturalidade e segurança aos olhares e questionamentos de quem coordena a dinâmica;
·         Deixe que as pessoas e o ambiente se tornem mais familiares. Isso fará com que a tensão do começo vá aos poucos diminuindo.
2. Para não travar
·         Controle situações de ordem pessoal que estejam o incomodando no momento. Vida familiar, relacionamento amoroso, etc. Se for questionado a respeito fale de forma clara, mas sem se expor;
·         Tente não pensar em situações que não deram certo . Por exemplo, uma oportunidade de trabalho perdida e cujo motivo foram às dinâmicas ou a incapacidade de expressar suas habilidades em público. Perceba que cada situação pode ser diferente e tratar-se de uma nova oportunidade para acertar;
·         Perceba que as dinâmicas despertam um duplo movimento nas pessoas: para umas é uma oportunidade de serem elas mesmas, de mostrarem seu talento, postura e valores. Já para outros, é um sofrimento, pois não gostam de se expor, levam uma vida mais reservada ou já sofreram por causa disso. Detecte o seu tipo de reação e tente contornar.
3. Carregue algumas “bandeiras” consigo:
·         Antes de mais nada, tenha consciência daquilo que deseja ;
·         Compreenda que uma entrevista não é um problema, mas uma oportunidade para afirmar o que gosta, e faça a diferença;
·         Não gaste energia em problemas imaginários, que nunca serão solucionados e só tiram o sono e a paz. Ocupe-se de problemas reais, veja a dinâmica como um desafio a ser superado e lembre que já passou por muitas dificuldades na vida e que é um vencedor por natureza;
·         Use de técnicas de relaxamento , como as de respiração e de escuta dos sons, que poderão auxiliar nestes momentos;
4. Enfrente a saia justa:
·         A pessoa pode travar não porque é tímido , mas porque o assunto abordado o incomoda. Quando o assunto for abordado, ela vai ter um bloqueio natural. Equilibre a sinceridade, já que em uma dinâmica de grupo a exposição é inevitável.
·         Quando vier a famosa pergunta: Por que você se desligou da empresa? Ou, por que você estava dentro do corte? Fale a verdade. Um exemplo: “Os resultados que eu demonstrei para a empresa naquela data não atendiam as expectativas porque me faltavam conhecimentos técnicos. Por isso, me dediquei e agora estou aprimorando meus pontos fracos”. Isso demonstra uma reação madura.
·         Não faça promessas . A boa vontade precisa estar aliada a ações. Mostre-se apto e pronto para enfrentar um meio competitivo.
5. Aspectos que podem deixar a pessoa ainda mais tímida e insegura:
·         O tipo de educação recebida em casa . Por exemplo, pais muito repressores fazem filhos tímidos e medrosos;
·         Experiências vividas no passado e que condicionam a pessoa negativamente na hora da dinâmica;
·         Insegurança em relação à competência para executar o trabalho em jogo;
·         Saber que está sendo observado em todos os sentidos: na roupa, físico, comunicação, argumentação, jeitos. Ser observado e saber-se observado provocam insegurança;
A timidez poderá ainda ser reforçada por se tratar de uma encruzilhada, o que traz medos, inseguranças, nervosismo. Mas respire fundo e mostre quem você é que, com certeza, conseguirá se destacar positivamente. 

domingo, 26 de maio de 2013

Como atingir um desempenho favorável nas dinâmicas



Para se dar bem na dinâmica de grupo, a primeira dica é: mantenha a calma. É preciso analisar a vaga pretendida, o tipo de empresa e nunca, jamais, fingir ser o que você não é. É aconselhável não dar respostas prontas, e sempre pensar antes de falar. Se não souber a resposta ou não entender a pergunta, questione, não responda qualquer coisa sem saber. E cuidado com o nível de informalidade das suas respostas. É preciso entender que em um processo seletivo nunca se dá respostas tão pessoais. Por exemplo ao se questionar sobre o que cada um gosta de fazer nas horas vagas ou Se não precisasse de dinheiro o que estaria fazendo agora, um candidato inexperiente poderá responder: 'Sair para beber chopp com meus amigos, viajando, curtindo a vida, etc.'. Dependendo do selecionador, este candidato pode ser eliminado na mesma hora. Melhor citar outra atividade - praticar esportes, viajar, jogar cartas, trabalhos sociais, trabalhando numa empresa própria, etc.
E se o selecionador perguntar sobre meus defeitos, o que devo responder? Esta é uma das questões mais polêmicas, já que o candidato nunca sabe quais "defeitos" poderão reprová-lo, e fica sem saber o que dizer. Todos os candidatos acabam citando defeitos que, dependendo do contexto e do tipo de empresa, podem até ser considerados qualidades, como perfeccionismo. O mais correto, seria rebater com a pergunta “O que você está querendo dizer com isso?", para entender melhor qual a intenção do selecionador. Mas, como isso pode não pegar muito bem, a melhor dica é: seja autêntico, mas com cuidado. Cite pequenos defeitinhos padrões, como ser uma pessoa metódica, perfeccionista ou autocrítica demais.
DESTACA-SE NA DINÂMICA QUEM...
  • sabe ouvir a equipe
  • divide papéis
  • organiza e planeja antes de executar a tarefa
  • coloca suas idéias e valores de maneira clara e objetiva, sem entrar em brigas e discussões mais vorazes
  • expõe suas opiniões com segurança, baseadas em dados fundamentados
PERDE PONTOS NA DINÂMICA QUEM...
  • não participa das atividades
  • mostra arrogância
  • "atropela" o grupo e interrompe outro participante
  • finge comportamento
  • quer ganhar o selecionador e não deixa o grupo participar
  • acha que está indo bem sendo o centro das atenções. Hoje o que se valoriza é o trabalho em equipe, e você será analisado por isso 

domingo, 19 de maio de 2013

Qual o comportamento esperado do candidato?




Não é adequado sugerir como um candidato deva se comportar numa situação de dinâmica de grupo pois as chances de acerto são mínimas. Melhor não inventar e procurar ser o que você é, com segurança e os defeitos naturais. O conjunto pode ser mais consistente do que inventar alguma coisa moderna que não combina com o todo. Observadores experientes sacam isto logo no início. Confira essas sugestões:

1. Daqui para frente, comece a prestar muita atenção no seu comportamento em família, em grupos de amigos, nas horas de trabalho e lazer. Analise, principalmente, as reações das pessoas ao seu comportamento. Você é bem aceito, respeitado, acatado, seguido? Como você faz isso? Explicando, negociando, dando ordens, dando feedback ou de que forma? Lembre-se que na dinâmica você será analisado justamente pelo comportamento que apresentar, por isso é importante você se conhecer e saber como pode reagir em cada situação.
2. Já na dinâmica, preste muita atenção também nos outros participantes, nas atitudes e comportamentos. Com eles que você vai desenvolver a atividade. Se você tem um espírito natural de líder, por que não ocupar um papel de destaque?
3. Fique atento às explicações e orientações para o trabalho que tem que ser realizado. As informações normalmente são padronizadas mas devem ser interpretadas à luz do que vai acontecer daí para a frente. Procure entender o que alguém vai querer observar se pedir para vocês contarem o número de paetês de uma fantasia, amarrar a todos numa corda ou qualquer outra coisa que venha a ser solicitada (libere toda a sua criatividade ou você não chegará nem aos pés da criatividade deste pessoal que inventa jogos e situações de grupo).
4. Não se esqueça de que você está em grupo e os comportamentos que serão observados valorizarão as suas relações com o grupo.
5. Não seja afoito de sair na frente atropelando tudo e todos. Já ouviu falar daquela história do boi de piranha? E daquela do macaco velho que não coloca a mão em cumbuca? Observe os primeiros passos de todos, mesmo que você tenha dado a iniciativa ao trabalho.
6. Não se incomode de ser observado por uma ou mais pessoas. O inverso é que é perigoso. Não ligue se alguém escreveu algo logo após a sua atuação. Pode muito bem ser positivo, por isso não sofra antecipadamente.
7. Observadores despreparados podem rir do que está acontecendo (quem não riria ao ver um bando de marmanjos no chão fazendo algo engraçado). Não é correto mas... Controle-se pois pode não ser de você.
8. Não fique perdido no desenrolar da dinâmica, seja ela uma peça de teatro, um painel de debates ou qualquer outra simulação. Seja um participante adequado o tempo todo. Muitas vezes, o último a falar é o que exerce maior influência sobre os destinos de um grupo.
9. Falar muito ou falar pouco? Não sabemos e temos receio de dizer. É uma incógnita pois não sabemos o que será observado. Infelizmente algumas coordenações despreparadas colocam um grupo para trabalhar e se lembram apenas daquele que falou muito, por mais besteira que tenha dito. Em outras situações ouvimos pessoas que preferiram não falar nenhuma besteira e não foram sequer lembradas. IMPORTANTE: muitas vezes o que se espera de um candidato é que encontre alguma solução racional no meio de uma situação totalmente desconexa (mais ou menos como o nosso mercado anda).
10. Solte-se e entre no jogo. Ajude o grupo a conseguir o melhor resultado em relação ao que foi pedido pelo coordenador. Procure ser decisivo para o desempenho do grupo. Desempenhe todos os papéis que você achar adequados, mas na dose certa e sempre focando o grupo. Não se esconda atrás do grupo mas também não se distancie.
11. Deixe as avaliações para depois. Pense que você dará muitas risadas depois de tudo e poderá animar algumas reuniões com amigos e parentes com os jogos que aprendeu. Não adianta nada demonstrar que está insatisfeito, pois isto poderá contar pontos negativos para você.
12. Depois de tudo, se você quiser dar sua opinião, procure a empresa que realizou a seleção e exponha o seu ponto de vista, com segurança e dados completos. Muitas vezes quem contrata uma empresa de seleção nem sabe direito o que vai acontecer no meio do processo.
13. Nunca se esqueça que você estará vivendo uma meta-realidade: não é o resultado imediato do trabalho do grupo que valerá, mas a sua capacidade de avaliar o que está acontecendo, escolher os comportamentos adequados, desempenhá-los com competência e flexibilidade e contribuir para o resultado de um grupo ou liderar um grupo na busca de um resultado.

domingo, 12 de maio de 2013

As Etapas da Dinâmica de Grupo



Qualquer situação em que você reúne pessoas para uma atividade conjunta, com um objetivo específico, caracteriza uma dinâmica. A situação mais comum é a dos processos seletivos. A dinâmica é a atividade que leva o grupo a uma movimentação, a um trabalho em que se perceba, por exemplo, como cada pessoa se comporta em grupo, como é a comunicação, o nível de iniciativa, a liderança, o processo de pensamento, o nível de frustração, se aceita bem o fato de não ter sua idéia levada em conta. Além disso, os selecionadores usam essa técnica para descobrir e avaliar como o grupo se comporta em relação a cada componente. A dinâmica de grupo em seleção sempre tem como objetivo observar o comportamento na situação de grupo e na maneira de ser do indivíduo. Dinâmica de grupo é um instrumento de aproximação de interesses. Para as organizações, não adianta só buscar o melhor profissional do mercado, mas também aquele que se adapta às suas necessidades. Para os profissionais, funciona do mesmo jeito. É preciso haver sintonia.
Profundidade: A dinâmica não é uma técnica que permite conhecer profundamente a personalidade da pessoa. Para isso existem outras atividades, como avaliação psicológica e entrevistas em diferentes níveis de profundidade. Atualmente, as dinâmicas estão leves e divertidas, os selecionadores costumam explicar os motivos de cada atividade e o candidato tem o direito de saber a utilidade de cada uma delas. Os processos de dinâmica invasivos já caíram em desuso, pois hoje sabe-se que não é necessário submeter os profissionais a situações desagradáveis, humilhantes, para diagnosticar suas características. Um tipo bastante comum de dinâmica que constrange é aquela em que o condutor questiona e coloca em conflito as opiniões e os valores dos candidatos, até que eles percam a cabeça ou se sintam inseguros.
Fases da dinâmica: Definimos as etapas das dinâmicas de grupo aplicadas nos processos seletivos. Confira:
·         Apresentação: Pode ser feita só oralmente, quando cada participante fará uma pequena descrição de sua vida pessoal e profissional. Pode ser também uma apresentação mais dinâmica, na qual os candidatos recebem cartolina, jornais, revistas, tesoura, cola, canetas. O objetivo é fazer com que cada um se defina usando esses recursos. É permitido escrever, desenhar, colocar recortes de revistas, colar ilustrações. Serve para "quebrar o gelo" e fazer com que todos se conheçam.
·         Aquecimento: Essa fase pode ser a primeira ou a segunda. O aquecimento serve para quebrar o gelo ou desacelerar a equipe. Isso quer dizer que o facilitador da dinâmica precisará fazer uma leitura corporal do grupo para saber se há entrosamento. A partir daí define-se o tipo de aquecimento, que pode ser físico, para relaxar e diminuir a empolgação, ou algum tipo de jogo que proporcione oportunidades de integração do grupo. Um exemplo é o jogo da batata quente. Cada pessoa, ao receber a bola, precisa terminar a frase dita pelo condutor da dinâmica. "Eu gosto de ...", "Me tira o sono...", "O que me entristece é...","Às vezes eu me sinto como...".
Atividade Principal: Pode ser subdividida em três tipos:
·         Execução ou Realização - construção de um produto ou um projeto, como uma campanha de marketing, por exemplo. Nesse caso, propõe-se aos candidatos que criem um produto inovador, apresentando viabilidade de custo, estratégia de marketing, tempo de retorno e público-alvo. Com isso, verifica-se criatividade, jogo de cintura, dinamismo, clareza de idéias, conhecimento do mercado, visão, comportamento em relação ao grupo, sintonia, e o principal, de que forma cada integrante contribui para isso.
·         Comunicação - é sempre baseado em debates ou histórias. O grupo é dividido em duas partes, depois é apresentado um tema da atualidade (geralmente polêmico) sobre o qual os participantes discutirão para desenvolver argumentação pertinente. Avalia-se capacidade de argumentação, conhecimento do assunto, poder de negociação, relacionamento interpessoal, facilidade de expor idéias, maturidade e nível cultural.
·         Situacional - pode ser feito verbalmente ou através da aplicação de questionários. Diante da apresentação de uma situação relacionada a problemas cotidianos das empresas, cada participante deve apontar possíveis soluções. O grupo pode ser dividido em duas equipes e, então, cada uma apresenta suas soluções. O objetivo é checar capacidade de compreensão, de síntese, liderança, habilidade analítica, aceitação do que foi exposto pelo grupo oponente, poder de negociação, coesão do grupo e maturidade. Outro exemplo: diante de uma situação em que um barco está afundando, lança-se a pergunta: quem você salvaria? O facilitador demonstra o perfil de cada um dos ocupantes do barco e cada um faz sua escolha. Esse tipo de dinâmica vai identificar os valores (econômico, religioso, humano) e se você é uma pessoa mais sonhadora, prática, organizada ou desregrada.
Resgate
Alguns profissionais de Recursos Humanos têm utilizado essa técnica para saber o que os candidatos acharam das atividades. Ouvem suas opiniões e argumentam dentro daquilo que é possível revelar. Também é conhecida como feedback.